Importação de operação em formato CNAB 444 e XML

Tempo de leitura: 2 minutos

Importação de operação em formato CNAB 444 e XML

Desde a norma 531 da CVM, que entrou em vigor em fevereiro de 2014, os Fidcs foram obrigados a realizar algumas mudanças importantes no processo operacional.

Dentre as principais determinações impostas, as consultorias ou custodiantes ficam obrigadas a fazer a guarda dos dados da nota fiscal (chave) de cada título negociado junto ao Fundo em operações com duplicatas.

Com essa mudança, praticamente findou-se a digitação manual das operações, mantendo-se neste processo apenas as operações muito particulares como a cessão de contratos, por exemplo.

Para atender as essas novas solicitações, os custodiantes, tiveram que realizar modificações nos seus layouts de cessão e os Fidcs por sua vez, passaram a orientar seus clientes a ponto de hoje, com exceção de alguns tipos de operações, só receberem operações que trazem a chave da nota fiscal.

As alterações realizadas no layout dizem respeito a sua extensão. Os já conhecidos CNABs 400 de bancos, gerados pelo Sistema de Cobrança da Stand By, para os bancos custodiantes passaram a contar com 444 posições. Isso porque a chave da NF-e contém 44 posições. Assim, a chave da NF-e passou a ir no arquivo.

Para os cedentes, que possuem um volume grande de operações, essa foi à melhor forma encontrada, já que não necessitou de grandes mudanças por parte de seus sistemas.

Ao utilizar o módulo Webfidc ou Webfactoring, mediante habilitação do layout 444 que ele trabalha, é permitindo que este inclua operações via arquivo padrão CNAB 444.

O sistema para gestão de recebíveis da Stand By, recepciona o arquivo e grava no título as 44 posições da chave no banco de dados. A partir daí a chave da nota é encaminhada para o custodiante através do arquivo de cessão.

A outra forma de receber os dados da NF-e, é o XML da nota. Com essa funcionalidade habilitada no módulo WebFidc ou Webfactoring o cedente selecionará as notas fiscais eletrônicas em seu sistema e fará seu upload, gravando-as em área reservada no servidor web.

Após o upload, o cedente selecionará títulos provenientes das notas fiscais, gerando o borderô simulado.

Importação XML

A chave da NF-e também será gravada no banco de dados, e os usuários do sistema poderão visualizar a Danfe e realizar consultas da situação da nota na SEFAZ, mediante instalação do certificado digital.

Consulta Sefaz

Vale dizer mais uma vez que, para os FIDCs o envio da chave ao custodiante é obrigatório, mas que o sistema da Stand By, recepciona estes mesmo arquivos (CNAB e XMLs ), para as factorings também, realizando o mesmo tratamento. Isso aumenta a segurança das operações com maior rigidez no controle dos lastros das duplicatas descontadas.

Para quem já é cliente entre em contato com nosso suporte: (31)3235-3100 ou [email protected], para que possamos instruí-los quanto a parametrização, habilitação de permissões e funcionamento desta rotina.

Se quiser conhecer mais sobre nossos sistemas para a gestão de Factoring e FIDCs acesse nosso site!

Até mais e fale com a gente nos comentários abaixo!

Deixe uma resposta